Mariana Bicudo e Thais Pinhata - Desinformação pode prejudicar a identificação de casos de assédio e discriminação, alertam especialistas da Franco Advogados

08/01/2021

 

Informação correta por meio de treinamento constante dos empregados e dispor de regras e processos claros de seleção, contratação e promoção destes são as melhores formas de as empresas se protegerem contra práticas de assédio moral, assédio sexual e discriminação no ambiente de trabalho. É o que recomendam as advogadas Mariana Bicudo e Thais Pinhata, da Franco Advogados, especialistas no assunto e idealizadoras do treinamento “A construção de um ambiente de trabalho sem assédio”.

“É importante que as partes envolvidas tenham conhecimento das leis de proteção e punição, para verificar se a acusação da vítima pode ou não ser considerada crime e, com isso, preservar a empresa de transtornos”, recomenda Thais Pinhata.

“Também é de extrema importância que o empregador adote medidas de prevenção dessas más práticas, tais como a criação de canais de denúncias e o desenvolvimento de programas de compliance”, sugere Mariana Bicudo.

Mas, havendo acusação de assédio ou discriminação, a vítima deve procurar ajuda. “É fundamental o empregador enfrentar o problema e agir rápido, acolhendo a vítima e tomando as devidas providências”, aconselham.

O treinamento “A construção de um ambiente de trabalho sem assédio” é totalmente interativo e tem duração de duas horas.

Copyright © Francoadv.com - Site desenvolvido por - DWMP - DESIGN | WEB | MARCAS | PROJETOS - www.dwmp.com.br